10 sintomas de úlcera que você pode ter e não sabe do que se trata

Conheça quais são alguns dos principais sinais da úlcera e veja alguns tratamentos naturais

A úlcera é uma lesão aberta, uma espécie de ferida, que pode acontecer tanto no estômago (úlcera gástrica) como no duodeno (úlcera duodenal)Dependendo do caso, a doença pode causar sérias complicações na saúde e apresentar dolorosos sintomas.

Vários fatores podem levar ao paciente desenvolver uma úlcera, mas a doença está sempre ligada a um desequilíbrio que acontece na região do estômago.

Conheça quais são alguns dos principais sintomas da úlcera e, caso note a presença de algum deles, procure urgentemente a ajuda de um especialista da área.

Sintomas da úlcera

A bactéria Hp (Helicobacter pylori) é uma das principais causas de úlcera

Dor, ardência e vômitos são sinais de úlcera no estômago (Foto: depositphotos)

1. Dor abdominal

A dor na região do abdômen é um dos primeiros sinais de quem está sofrendo de úlcera. O incômodo costuma, muitas vezes, ir e vir em ondas de dor ardente ou com sensações de “esfaqueadas”, como exemplifica o site Active Beat.

Os episódios de dores são bastante intensos e duram alguns minutos. O jejum prolongado pode ser um dos desencadeadores do incômodo abdominal.

2. Aumento da indigestão

A úlcera pode provocar má digestão e causar gases, gerando problemas como soluços e arrotos, principalmente após as refeições.

3. Náuseas

A doença provoca um grande desequilíbrio de sucos digestivos. Isso acaba resultando em náuseas, principalmente pela manhã, onde o estômago ainda está vazio e o paciente está há muito tempo sem se alimentar.

4. Sensação de abdômen pesado

O abdômen pesado (sensação parecida de quando se ingere uma enorme quantidade de água) é um sintoma muito comum em que desenvolveu uma úlcera.

5. Sintomas gripais

Muitas pessoas que possuem úlcera (principalmente aqueles que ainda não descobriram a doença) podem confundir os sintomas com os da gripe. A úlcera costuma provocar nos pacientes sensação de mal estar, fadiga, febre e náuseas, mesmos sintomas provocados pela gripe. Por isso, fique sempre atento.

6. Perda de apetite

As dores abdominais provocadas pela úlcera costumam gerar no paciente medo de comer e piorar a sensação, por isso, muitos acabam perdendo o apetite ou preferem não se alimentar direito.

7. Fome fora de hora

Já em contraponto, muitos pacientes costumam ter uma fome repentina, mesmo pouco tempo depois de já terem feito uma refeição completa.

As dores causadas no estômago que faz com que o indivíduo acredite ser fome é, na verdade, incômodos provocados pela úlcera devido ao aumento dos sucos digestivos.

8. Perda de peso súbita

A perda de peso pode ocorrer devido a ausência de fome como também aos vômitos ocorridos em frequência após as refeições.

9. Fezes com cores e textura específicas

Preste atenção na cor e textura das fezes. A úlcera costuma provocar movimentos intestinais mais escuros, pastosos, apresentar cor de farinha ou ter tecidos de sangue (em casos em que a doença esteja mais avançada).

Veja tambémChá de bananeira imbé trata úlceras e inflamações

10. Vômito com sangue

Outro sintoma provocado pelo aumento dos níveis de sucos digestivos é o vômito. Mas é preciso ficar atento também a ele, pois caso contenha sangue é sinal de que a úlcera já está em um estágio muito avançado.

Tratamentos natural para úlcera gástrica

  • Faça sucos frescos utilizando salsão, incluindo as folhas e talos da planta. Procure ingerir a bebida todos os dias, entre dois e cinco copos;
  • Suco de repolho também ajuda a neutralizar a acidez estomacal e ainda ajuda na cicatrização das feridas. Basta tomar meio copo de suco de repolho antes de cada refeição;
  • Já o suco de batata contém propriedades anti-inflamatórias que ajuda a reduzir o ardor e dor. Consuma meio copo de suco de batata antes das refeições;
  • Bata no liquidificador duas cenouras junto com uma uma folha de repolho branco e um copo de água. Coe a bebida e consuma-a entre as refeições;
  • Chá de espinheira santa e chá de folhas amargas feitas à base de losna, boldo, carqueja, estomalina e dente-de-leão, também são excelentes para tratar a úlcera;
  • Por uma semana, beba alguns copos de leite de coco fresco ou água de coco;

Alimentos indicados

  • Frango e peixe grelhado, livres de gordura;
  • Couve, hortelã e gengibre;
  • Frutas (não ácida) e vegetais;
  • Alimentos ricos em fibras;
  • Alho, salsa, endro, sálvia, cominho, coentro, tomilho, erva-doce e manjericão;
  • Bastante água, exceto durante as refeições;
  • Queijo branco e ricota, evitando os amarelados.
  • Laranja-lima, do tipo menos ácido.

Veja também: Abacate faz mal para o estômago? Saiba e entenda

Alimentos não recomendados

  • Álcool;
  • Refrigerantes;
  • Café;
  • Chá preto;
  • Chicletes e balas;
  • Pimenta e molhos, como shoyu, catchup e mostarda;
  • Frutas ácidas;
  • Pimentão e berinjela;
  • Alimentos quentes ou frios demais;
  • Frituras;
  • Pratos industrializados;
  • Alimentos gordurosos e condimentados;
  • Leite.

Úlcera no estomago pode virar câncer?

A bactéria Hp (Helicobacter pylori), uma das principais causas de úlcera, está presente em quase 50% da população mundial, podendo ser encontrada tanto em pacientes que possuem úlcera péptica, como nos de câncer de estômago (ou até mesmo em pessoas que não apresentam nenhuma manifestação).

“Não se sabe ainda o motivo que leva a bactéria Helicobacter pylori desenvolver o câncer. Sabe-se porém, que nos pacientes com úlcera péptica (portadores da bactéria Helicobacter pylori) ela não se transforma em câncer. O mesmo acontece com as pessoas que tem a bactéria Hp sem nenhum tipo de manifestações clínicas, ou seja, não são portadoras de úlcera péptica e nem de câncer”, esclarece o site do best seller, Medicina, Mitos e Verdades, da autora Carla Leonel.

Veja tambémConheça os peixes eficazes contra úlceras, artrite e câncer

Ainda de acordo com o livro, o que pode acontecer é da inflamação no estômago “camuflar” as células cancerígenas. “Portanto, não é que houve transformação de úlcera para câncer, mas não se conseguiu comprovar que o câncer já estava presente no paciente com úlcera péptica. Para evitar que se postergue esta diferenciação, é recomendável sempre solicitar nova avaliação microscópica de uma lesão ulcerada, entre 6 a 8 semanas após o início do tratamento de úlcera péptica”, esclarece a autora.